Aiuruoca: o que fazer, onde comer e onde se hospedar

Por:Turismo de Minas

11

Maio 2021

Arrume as malas, pegue o gorro e o cachecol, e vá curtir o friozinho em Aiuruoca. A cidade com mais de 300 anos de história, fica no Sul de Minas, e possui cerca de 6 mil habitantes. Faz parte da Estrada Real e é uma área de proteção ambiental da Serra da Mantiqueira, cercada pela Mata Atlântica. 

O nome da cidade em tupi guarani significa “Casa de Papagaio”, devido a grande quantidade dessa espécie de aves que existiam na região. Aiuruoca é o local ideal para a prática do ecoturismo e do turismo de aventura, possui uma beleza natural inigualável, com muitas cachoeiras, montanhas, trilhas e bosques.

Nesse mar de montanhas mágicas rodeada por araucárias, planta só encontrada em lugares frios, está o rio com a nascente mais alta do Brasil, o Rio Aiuruoca. O local é considerado a Sétima Cidade Sagrada da Era de Aquários, é a pioneira na produção do queijo prato e na criação do Cavalo Mangalarga Marchador.

Com tantas belezas raras, foi criado na região o Parque Estadual da Serra do Papagaio, compreendido pelos municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte, e Pouso Alto, possui aproximadamente 22 hectares de extensão. 

Devido a atitude, de até 2.350 metros, o clima é um dos principais atrativos do local, registrando temperaturas negativas. A cidade conta com bons hotéis e pousadas, e com gastronomia típica deliciosa. A economia é baseada no turismo. 

Você não pode deixar de visitar o Pico do Papagaio, a Reserva Ambiental do Matutu e o Vale dos Garcias. Aproveite para praticar caminhada, cavalgada, rapel, escalada, tirolesa, e até um mini-rafiting. Reserve um dia para cada passeio desses. 

 

O que fazer em Aiuruoca

 

Pico do Papagaio

Para os mais aventureiros, a melhor pedida é a subida até o Pico do Papagaio. O visual lá de cima é incrível, você fica acima das nuvens e se sente literalmente nos céus. A caminhada considerada difícil é de aproximadamente 6 Km, e tem duração média de 3 horas. 

São vários os caminhos para se chegar ao topo, mas os que não se arriscam a ir tão alto, podem parar na Pedra Quadrada, que fica na subida para o Pico, e fazer um rapel de 45 metros. 

 

Vale do Matutu

Com fauna e flora exuberantes, a Reserva Ambiental do Matutu é o lugar ideal para quem procura conforto e bem-estar aliados à preservação da natureza.  

Na comunidade do Vale do Matutu, fundada nos anos 1980, os moradores são muito místicos e acolhedores. Realizam diversas manifestações populares e festas típicas durante todo o ano. 

O “Casarão” é uma parada obrigatória, funciona como um centro de informações turísticas, onde são disponibilizados guias para fazer os passeios com os visitantes. Lá fica também a Loja do Paiol, onde o artesanato local é comercializado, e a Cooperativa do Matutu, um mini mercado, que escoa a produção do Vale.

Uma dica para quem quer relaxar é passar um dia no SPA Aroma do Vale, que oferece sauna, ofurô, banhos de banheira, massagens, e tratamentos estéticos. Possui ainda uma lojinha e um café. 

 

Vale dos Garcias

O Vale dos Garcias, que fica do outro lado do Pico, reserva surpresas espetaculares aos turistas. Os principais atrativos do Vale são a Cachoeira Poço Joaquim Bernardes, de fácil acesso e uma ótima opção para todas as idades, e a Prainha, uma cachoeira pequena e agradável, tida como uma mini praia por possuir areia em seu entorno. 

Mas o lugar mais bonito do Vale é sem dúvida a Cachoeira dos Garcias, de 30 metros de altura, e que brota em meio à Mata Atlântica fechada. Não deixe de curtir um dos atrativos mais bonitos da região.  

 

Onde comer

Kiko e Kika Restô

Na cidade são encontrados restaurantes para todos os gostos. Para os mais sofisticados, o lugar mais indicado é o Kiko e Kika Restô, um restaurante de culinária francesa, que oferece trutas como especialidade.

Mirante das Corredeiras

Já para quem quer aproveitar o clima de Aiuruoca, um restaurante mais simples, mas muito bom também é o Mirante das Corredeiras, onde você almoça ao som das águas do Rio Aiuruoca, com uma vista privilegiada.   

 

Onde se hospedar em Aiuruoca

Pousada Pedra Fina

A Pousada Pedra Fina, que fica no Vale do Matutu, é muito aconchegante e possui boa infra-estrutura. É indicada para casais que querem passar a noite a beira da lareira olhando as estrelas, e para famílias.

Pousada da Serra

Já a Pousada da Serra, no Vale dos Garcias, é uma ótima opção para os mochileiros que subirão o Pico, pois fica no caminho. Também é acolhedora e toda decorada em estilo rústico. 

 

Dicas

Cachaça Paraíso

Entre Campanha e Caxambu, dê uma paradinha para apreciar o espaço criado pela Cachaça Paraíso. A aguardente é fabricada numa fazenda próxima dali, mas é engarrafada, rotulada, e comercializada no local. O espaço conta com pesqueiro, lagos, alambique, loja e lanchonete. Não é cobrado taxa de visitação. 

Fazenda São José da Vargem

Um pouco mais adiante, você vai se encantar pelo casarão da Fazenda São José da Vargem, onde mora a simpática Dona Miloca. A Fazenda tem aproximadamente 300 anos, e já está nas mãos da 7ª geração da família. O local funciona como ponto de apoio aos hotéis da região, para fazer passeio com os turistas. A decoração do casarão, e o jeito mineiro de receber agrada a todos que por lá passam. Na Fazenda existe também o Haras Cataguá “S”.

 

Como chegar em Aiuruoca

Saindo de Belo Horizonte são 400 Km. Pegue a Fernão Dias (BR 381) no sentido São Paulo até o trevo de Campanha, passe pelo Circuito das Águas, e siga para Aiuruoca. Outra opção é pela Estrada Real, passando por São João del-Rei e Circuito das Águas, totalizando 370 Km de Belo Horizonte.  

Compartilhe:

Relacionados

Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Rua Marechal Bitencourt, 199, apto 901 - Gutierrez Belo Horizonte/MG - 30441-114

(31) 99681-1337

contato@turismodeminas.com.br