Diamantina

Por:Turismo de Minas

25

nov 2018

Atualizado em: 25/05/2020 ás 18:54

Diamantina tem toda sua história atrelada à exploração de ouro e de diamantes na região. Graças à beleza e ao cuidado do centro histórico, repleto de casarões coloniais preservados, a cidade recebeu o título de patrimônio cultural pela Unesco, em 1999. Pelas ruazinhas e vielas se ouve um pouco da música local em rodas de violão, fanfarras e serestas; vale encarar suas ladeiras para conferir as igrejas e lojinhas de artesanato.

Como chegar

Saindo de BH pegue a BR 040 sentido Brasília, 23 km após Paraopeba pegue a BR 135 e siga até Curvelo. Passe pela cidade e pegue a BR 259 para Diamantina. Tem um pedágio na altura de Capim Branco, a R$ 4,80.

 

ASSISTA AO VÍDEO QUE GRAVAMOS EM DIAMANTINA 

 

Pontos Turísticos de Diamantina

Passadiço da Casa da Glória 

Cartão-postal da cidade, é uma bela passagem que une duas casas coloniais que já foram residências, orfanato, escola para meninas e hoje são sede do Instituto Casa da Glória. Dizem que o passadiço foi erguido para que as internas pudessem atravessar a rua longe dos olhares dos rapazes.

Rua da Glória, 297/298

(38) 3531-1394

diariamente das 8h às 18h,

entrada gratuita

Passadiço da Glória, em Diamantina - crédito Marden Couto

Passadiço da Casa da Glória - credito Marden Couto

 

Casa JK (fechada temporariamente em 2019)

A casa, na qual Juscelino Kubitschek passou parte de sua infância, foi transformada em museu dedicado ao ex-presidente após sua morte. No interior há uma reunião de fotos, objetos pessoais, uma biblioteca e a réplica de seu consultório médico.

Rua São Francisco, 241,

(38) 3531-3607,

de terça a sábado das 8h às 17h,

domingos e feriados das 8h às 13h, R$ 5

Casa JK - crédito Marden Couto

Casa de Juscelino Kubtisckek - credito Marden Couto

 

Museu do Diamante 

Apesar do nome, o forte aqui é a arte sacra, mobílias e armas dos séculos XVIII e XIX. Uma ala é dedicada à mineração, com algumas pedras expostas e instrumentos usuais do garimpo.

Rua da Direita, 14,

(38) 3531-1382,

museudodiamante.museus.gov.br,

terça a sábado das 10h às 17h,

domingo das 9h às 13h,

entrada gratuita

Museu do Diamante - credito Marden Couto

 

Museu do Diamante - crédito Marden Couto

Casa de Chica da Silva 

Se as paredes dessa residência falassem contariam muito do romance vivido pela ex-escrava Chica da Silva com João Fernandes de Oliveira. Foi ali que a família cresceu e criou seus treze filhos. No interior há uma exposição permanente de painéis, quadros e poemas inspirados em Chica.

Praça Lobo Mesquita, 266,

(38) 3531-2491,

terça a sábado das 12h às 17h30,

domingo das 9h às 12h,

entrada gratuita

Casa de Chica da Silva - crédito Marden Couto

Casa de Chica da Silva - credito Marden Couto

 

Igrejas

As igrejas tem horários complicados de visitação. Cada padre abre a hora que bem entende. Nunca demos sorte de conseguir visitá-las. Só conseguimos ver o interior da Igreja de São Francisco de Assis, pois estava tendo um casamento e fomos espiar e da Catedral Metropolitana de Santo Antônio, porque estava tendo missa e entramos para conhecer.

Catedral Metropolitana de Santo Antônio

Catedral Metropolitana de Santo Antônio - credito Marden Couto

A Catedral Metropolitana data de 1933 e é a matriz da cidade

 

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Igreja de Nossa Senhora do Carmo - credito Marden Couto

A Igreja Nossa Senhora do Carmo é uma das maiores e mais ricas, com 80 quilos de ouro

 

Igreja de São Francisco de Assis

Igreja de São Francisco de Assis - credito Marden Couto

A igreja mais fotogênica é a de São Francisco de Assis, com seus três sinos

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Igreja de Nossa Senhora do Rosario - credito Marden Couto

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário é a mais antiga ainda de pé

 

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim - credito Marden Couto

 

Igreja de Nossa Senhora das Mercês

Igreja de Nossa Senhora das Mercês - credito Marden Couto

 

Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo

Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo - credito Marden Couto

A Capela Imperial do Amparo reúne importantes imagens do século XVIII

 

Mercado Velho 

O mercado foi construído em 1835 para os tropeiros que passavam pela região poderem vender seus produtos. Hoje abriga o Centro Cultural David Ribeiro e, aos sábados, tem feira de produtos típicos, com comidinhas e artesanato.

Praça Barão do Guaicuí, 170

Mercado Velho - crédito Marden Couto

Mercado Velho - credito Marden Couto

 

Rua da Quitanda

Onde estão os principais bares e restaurantes da cidade. É lá também que acontece a famosa Vesperata. O calçadão fica cheio de mesinhas, o maestro no meio do público e os músicos nas sacadas dos casarões.

Rua da Quitanda - credito Marden Couto

 

Cineteatro Santa Izabel 

O prédio funcionou como cadeia por 60 anos antes de servir para o entretenimento. O local tem capacidade para 130 pessoas e espaço para exposições e espetáculos musicais.

Praça Dom Joaquim, 166,

(38) 3531-7180,

programação deve ser consultada por telefone

Teatro Santa Izabel - credito Marden Couto

Beco do Mota 

Inspiração para músicos como Milton Nascimento, o beco é point dos universitários e de quem quer aproveitar a noite agitada nos bares e restaurantes. Como as casas da região tem entradas tanto pela Rua da Quitanda quanto pelo Beco do Mota, reza a lenda que os homens entravam nas casas pela Rua da Quitanda e se divertiam no Beco do Mota, antiga zona de prostituição, onde as mulheres “de bem” não podiam frequentar.

Beco do Mota - crédito Marden Couto

Beco do Mota - credito Marden Couto

 

Chafariz da Câmara 

Localizado próximo a Câmara Municipal, tem seis bicas em formato de carranca feitas em pedra. Na época da colônia os moradores da cidade buscavam água ali.

Rua da Direita, 14,

de terça a sábado das 10h às 17h,

domingo das 9h às 13h

 

Chafariz da Câmara - credito Marden Couto

 

Basílica do Sagrado Coração de Jesus

Foi construído em 1885, em estilo neogótico. Quem fez o projeto foi o mesmo padre responsável pela construção do Santuário do Caraça, em Santa Bárbara.

Basílica do Sagrado Coração de Jesus - credito Marden Couto

 

Seminário do Sagrado Coração de Jesus

fica anexo à basílica. Um dos alunos mais ilustres que já passou por lá foi Juscelino Kubtisckek, que estou no seminário de 1913 a 1916.

Seminário do Sagrado Coração de Jesus - credito Marden Couto

 

Contemplação

Passeamos muito pelas ladeiras da cidade e pudemos ver diversos prédios históricos, que renderam belas fotos.

Casa do Muxarabiê – Biblioteca Antônio Torres

Casa do Muxarabiê - credito Marden Couto

 

Edifício do Fórum

Edifício do Fórum - credito Marden Couto

 

Antiga Casa da Intendência

Antiga Casa da Intendência - credito Marden Couto

 

Chafariz do Rosario

Chafariz do Rosario - credito Marden Couto

 

Garimpo Real 

Aqui é possível acompanhar, através de visitas guiadas, todo processo de extração de pedras preciosas de um garimpo de verdade. Evite épocas de chuva, quando não é possível extrair pedras.

BR-367 p/ Belo Horizonte, 10 km,

(38) 3531-1557,

garimporeal.com,

de segunda a sexta das 8h às 15h,

ligar para agendar

 

Caminho dos Escravos  

O caminho foi feito de pedras por escravos no século XVIII para ligar o velho Tijuco e o Mendanha. Na época era passagem para animais, depois virou rota de mineiros e hoje, em pleno estado de conservação, é usado para caminhadas ecológicas.

Rua Acaiaca, 5,

(38) 3531-6416,

aberta diariamente

 

LOGO ALI

Biribiri 

Há 8 km de distância de Diamantina, a pacata Vila Biribiri foi construída no século XIX para abrigar os funcionários da Companhia Industrial de Estamparia. Hoje, tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), tem cerca de 30 casas e uma igrejinha colonial. Próximo a ela, está o Parque Estadual do Biriri, onde há várias nascentes e cursos d´água que formam cachoeiras gostosas para tomar banho entre a vegetação do cerrado, campos rupestres e matas de galeria.

BR-367, km 587,

biribiri.com.br

 

#DICA

Vesperata

Mesas e cadeiras são espalhadas por toda Rua da Quitanda, onde ao centro o maestro, sobre um tablado, rege os músicos da Banda do 3º Batalhão da PMMG e da Banda Mirim Prefeito Antônio de Carvalho Cruz, que estão instalados nas sacadas dos casarões. É um espetáculo único, que envolve a plateia com canções clássicas e atuais.

Rua da Quitanda,

de abril a outubro,

(38) 3531-1667,

sábado, às 20h,

a partir de R$ 40,

minhasgerais.com

 

ONDE SE HOSPEDAR

Onde se hospedar

Hotéis e pousadas

Consulte preços e reserve aqui

 

Veja dicas de onde comer e a programação cultural de Diamantina

 

Você conhece Diamantina? Deixe suas dicas nos comentários!

Compartilhe:

Relacionados

Comentários

  1. marden disse:

    boa matéria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Av. Contorno - n°3979 - Santa Efigênia - BH - MG

(31) 3333-3333

contato@digitalpixel.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs

Open chat
Powered by